Arquivo da tag: Comissão de Direitos Humanos

Papel de pais e cuidadores é destacado em painel sobre Drogadição na Infância e Juventude

Evento foi promovido pela Comissão de Direitos Humanos da Casa

Pacientes da Fazenda Senhor Jesus abriram com música o Painel “Drogadição na Infância e Juventude”. O evento ocorreu nesta quarta-feira, 21, e foi promovido pela Comissão de Direitos Humanos, presidida por Alex Rönnau. Fizeram parte da Mesa Diretora o promotor da Infância e Juventude Manoel Guimarães e o major Vitor Hugo Konarzewski, do 3º BPM.

Infância
Rosangela Scurssel, diretora-presidente do Centro de Atenção Urbana à Dependência Química, Caudeq, foi a primeira a falar. Ela destacou diversos pontos que devem ser levados em conta quando se fala em drogas, como internet, consumo, violência e desempenho escolar. As vivências da infância, porém, ganharam destaque na palestra. “Elas exercem grande influência na formação da adolescentes e adultos seguros, com boa autoestima e preparo adequado à vida em sociedade”, disse. Nessa época, pais e cuidadores têm máxima influência.

Todavia, crianças são diariamente encaminhadas ao Conselho Tutelar por adultos que não conseguem tomar conta delas. “Se elas reproduzem aquilo que aprendem dos mais velhos, quem está errando primeiro?”, questionou Rosangela. “Precisamos rever nossos conceitos, nossos valores e nossa ética. Não basta dar teto e comida, é preciso olhar para a criança e para o adolescente.” O recado não foi direcionado apenas a quem tem filhos: todos somos responsáveis pelos pequenos cidadãos brasileiros, frisou.

Adolescência
O psicólogo Leandro Dieter, representando a secretária municipal de Saúde, Clarita de Souza, chamou a atenção para o adolescente usuário das drogas. Nessa época da vida, diversos desafios são enfrentados, como o estabelecimento de uma identidade sexual e de relações para além da família, além do ingresso no mundo do trabalho. “A droga vai ser usada, em alguns momentos, para ajudar no encontro de resposta a essas questões. Serve para apaziguar as angústias provocadas pelo mal-estar da atualidade.” Hoje, apontou, não temos mais ritos de passagem, que geram algum conforto. “O processo é mais complexo.”

Contudo, afirmou Dieter, há diferentes níveis de apelo à droga. Um levantamento feito em 2010 nas 26 capitais estaduais e no Distrito Federal – e que contou com a participação de mais de 50 mil alunos das redes pública e privada – mostra que 42% fizeram uso de bebidas alcoólicas ao menos uma vez no ano. Outros índices encontrados foram: 9,6% tabaco, 5,2 % solvente, 3,7% maconha, 2,6% ansiolítico, 1,8% cocaína e 0,4% crack. Não é diferenças entre meninos e meninas – mas os números são maiores para estudantes mais novos. Ao se comparar com os números de 2004, uma boa notícia: a maioria caiu nesses últimos seis anos. “Uma sugestão é fazer campanhas contra o álcool semelhantes às realizadas contra o cigarro”, finalizou.

Uma nova cultura
O diretor de Políticas Públicas sobre Drogas do RS, Solimar dos Santos Amaro, enfatizou a importância de uma mudança na cultura. Ele apontou que pais e responsáveis, muitas vezes, consomem tranquilizantes, cigarros, bebidas alcoólicas e café. “Além disso, quando sentimos um desconforto, logo tomamos um remédio. Temos uma cultura na qual não podemos sentir dor.” Amaro ponderou que essas contradições estão presentes nos meios de comunicação, pois artistas e atletas podem promover cervejas. “O crack é a bandeira da vez, mas também deveria ser o álcool. O maior índice de cirrose na infância está em nosso Estado, na cidade de Caxias do Sul.”

Considerações finais
O major Vitor Hugo disse que a Brigada Militar está fazendo o possível para coibir o uso de drogas. “Convivemos com a falta de estrutura familiar.” O promotor Manoel Prates concordou com os palestrantes. “Reitero a necessidade de comprometimento pessoal, de amor e de carinho. A prevenção deve começar em casa. Mas o policiamento preventivo também é importante.” Participantes ainda fizeram questionamentos aos painelistas, abordando aspectos como políticas para a mídia e para a saúde.

Para o vereador Alex é preciso investir para que as crianças e adolescentes não entrem para esta vida, “ficou claro que o objetivo é a prevenção, para que depois não precisemos reverter uma situação já ficou difícil. É possível evitar todo o sofrimento de cair nas drogas”, diz.

Fonte: Site Oficial da Câmara Municipal de Novo Hamburgo

Participe do painel “Drogadição na Infância e Juventude”

O painel acontece hoje, 21 de setembro, às 19h30 e foi proposto pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal hamburguense, presidida pelo vereador Alex Rönnau.

Saiba mais detalhes abaixo, clique na imagem para ampliá-la:

Comissão de Direitos Hunamos dabate Casa Lar do Menino

 

Na tarde da quarta-feira, 6, e de quinta-feira, 7, a Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Defesa do Consumidor – presidida pelo vereador Alex Rönnau, e também conta com os vereadores Carmen Ries e Sergio Hanich – recebeu um grupo de conselheiros tutelares. Na reunião, Alaíde Kayser, Gislaine Pires e Marcos Aguilar mostraram diversos documentos referentes à Casa Lar do Menino de Novo Hamburgo. Há alguns dias, foram feitas denúncias sobre maus-tratos de internos no local. O presidente da Câmara, Leonardo Hoff, e Jesus Maciel também estavam presentes.

Atuação
A secretária de Desenvolvimento Social, Jurema Guterres, respondeu a questionamentos na sessão de 30 de junho. Para a próxima semana, foi convidado o promotor da Vara da Infância e Juventude. Alex garantiu que o Legislativo está em busca de uma solução para a questão o mais breve possível, visando sempre ao bem-estar dos pequenos cidadãos.

Fonte: Site Oficial da Câmara de Novo Hamburgo

Secretário de Estado traz boas novas em visita ao CASE, em Canudos

Na tarde da última sexta-feira, 27 de maio, o Centro de Atendimento Sócio-Educativo, CASE, de Novo Hamburgo, localizado no bairro Canudos, recebeu boas notícias, trazidas pelos visitantes Fabiano Pereira, secretario estadual de Justiça e Direitos Humanos, e Alexsander Rönnau, vereador e presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara de Novo Hamburgo. As boas notícias foram o investimento de $1,3 milhões para reforma do local e a ampliação de parcerias com empresas hamburguenses para profissionalizar as crianças e jovens internos do CASE.

Comitiva de Alex e Fabiano no pátio interno da CASE

O Centro faz parte da instituição estadual Fundação de Atendimento Sócio-Educativo, FASE, e é responsável pela internação e semi-liberdade a adolescentes autores de ato infracional. Atualmente a CASE do município abriga 84 internos, de 13 a 20 anos.

A visita e as parcerias aconteceram por intermédio do vereador Alex. Estiveram presentes na ocasião, além do secretário e do vereador, a diretora da FASE, Joelza Mesquita Pires; o diretor-geral da CASE Novo Hamburgo, Valdemir Estran; o diretor adjunto da CASE Novo Hamburgo, Marlos Oliveira; o presidente da Associação de Moradores de Canudos, Evaldo Machado; e o tenente da 2ª CIA da Brigada Militar, Rodinei Peres Simões. Eles também vistaram empresa de calçados Marisol, vizinha e parceira do Centro.

O secretário Fabiano elogiou a iniciativa do vereador Alex e ressaltou as dependências e a excelência do trabalho realizado neste núcleo da FASE. “Aqui é um espaço diferente de qualquer outro CASE, onde a estrutura se resume a duas paredes, um teto e uma quadra de esportes. Queremos usar este local como referência para outras CASEs do Estado”, explicou a alguns jovens internos.

Parcerias
A partir de agora, os internos que não tem possibilidade de realizar atividades externas, terão instrutores dentro do prédio da CASE, assim poderão receber aulas de jardinagem durante a manhã e de pintura predial durante a tarde. Estes cursos profissionalizantes proporcionam aos jovens da CASE uma oportunidade de aprender algo que levarão para o resto da vida e certamente serão as suas formas de sustento, quando estiverem em liberdade. Isto os auxilia a não voltarem ao crime. “Esta atitude tratá uma maior qualidade de vida e inclusão social e familiar a estes jovens. O importante é eles saírem daqui melhor do que entraram”, coloca Alex.

Outra parceria importante é com a empresa Marisol, que emprega os jovens que podem realizar atividades externas. Esta parceria está sendo ampliada. Aqueles que recebem a autorização de trabalhar fora das dependências do Centro, recebem um treinamento, como todos novos funcionários. Hoje há cerca de 5 internos trabalhando no local, fora aqueles que começaram o serviço quando faziam parte da CASE e hoje estão em liberdade, mas mantiveram seu vínculo com a empresa.

A cada mês, um ou dois meninos começam trabalhar na Marisol, a maioria deles no setor de costura.

Reformas
Da verba destinada à reforma, $1 milhão provém do Governo Federal e $300 mil restantes são do Governo do Estado. A estrutura ganhará novas salas, para as oficinas que serão ministradas dentro da CASE, além receber melhorias nos banheiros e coberturas. “Este dinheiro também renderá proventos para Novo Hamburgo”, salienta o secretário. As obras começarão ainda este ano.

Projetos do Estado
Alex Rönnau aproveitou a presença do secretário de Justiça e Direitos Humanos, Fabiano Pereira, no município para entregar em mãos dois pedidos para implantação de projetos do Estado em Novo Hamburgo. Um deles é um Centro de Referência para o tratamento de dependentes químicos, especializado em usuários de Crack e o outro é um Curso Pré-Vestibular para jovens de baixa renda. Estes projetos já existem no Rio Grande do Sul e serão levados para outras cidades. O vereador tomou a frente e está pleiteando para que Novo Hamburgo seja a escolhida para recebê-los. “Há grandes chances de conseguirmos trazer estes projetos para uma cidade tão importante como Novo Hamburgo”, coloca Fabiano.

Confira a galeria de fotos:

Confira também a entrevista dada à TV Câmara, durante a programação do canal.

Nota

Não perca hoje à noite, 26 de maio, a entrevista do vereador Alex Rönnau na Rádio ABC 900AM! Alex falará no quadro A Voz do Vereador, às 22h. Saiba mais sobre a visita ao Centro de Atendimento Sócio-Educativo, CASE, na … Continuar lendo

Oficina de Geração de Renda agora tem sede própria

Na manhã de hoje, sexta-feira, 20, foi inaugurada a sede própria da Oficina de Geração de Renda do município, localizada na rua Marcílio Dias, 1559, no Centro. Novo Hamburgo acaba de ganhar um espaço de capacitação profissional para pessoas que sofrem algum tipo de exclusão social. A secretária de Saúde, Clarita de Souza, descreve o lugar como “acolhedor e lúdico”. O objetivo deste centro é introduzir seus integrantes no mercado de trabalho.

O trabalho já era realizado desde 1998 junto ao Centro de Atenção Psicossocial, CAPS, e agora, com a nova sede, abriu espaço para outras redes do município, como de assistência social e de deficientes.

Autoridades de Novo Hamburgo estiveram presentes na inauguração

Segundo a terapeuta ocupacional Anellize Schmidt, no lugar serão oferecidas oficinas de pintura, costura, papel reciclado, serigrafia, entre outros. Também formam-se grupos de trabalho, que organizam as vendas e gerem os lucros. Os produtos confeccionados pelos participantes do projeto podem ser conferidos na própria sede, – que também conta com um brechó – nas feiras de artesanato na Praça do Imigrante e no saguão da Prefeitura, uma vez por mês.

O vereador Alex Rönnau, que esteve presente na inauguração, ressalta a importância da Oficina de Geração de Renda. “Para os integrantes esta é uma forma de sustentação e inclusão social. É um espaço que auxilia no tratamento de suas doenças e aumenta a auto-estima”.

Confira fotos do local:

Novo Hamburgo sedia 2° Seminário Educação Não Violenta

Na manhã de quarta-feira, 18, ocorreu a abertura da segunda edição do Seminário Educação Não Violenta com exibição do documentário “Canto da Cicatiz”, no Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno, mais conhecido como Centro de Cultura. O filme traz depoimentos de crianças, jovens e mulheres vítimas de violência sexual. O evento teve alusão ao Dia Nacional do Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes, comemorado no mesmo dia. O vereador Alex Rönnau, presidente da Comissão Parlamentar de Direitos Humanos, esteve presente no Seminário.

Comunidade prestigiou a abertura do 2º Seminário Educação Não Violenta

O Seminário – produzido pelas Secretarias Municipais de Desenvolvimento Social e Educação e Desporto – teve a participação de Laís Chaffe, diretora do documentário exibido; de Anete Regina da Cunha, coordenadora do Centro de Referência Especializado de Assistência Social, CREAS; de Manoel Luiz Prates, promotor de justiça especializada de Novo Hamburgo; e de Niva Chamis, pediatra da Unidade Básica de Saúde , UBS .

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Social, Jurema Guterres, com a iniciativa, se quer diminuir índices de violência contra a criança e refletir sobre como detectar problemas como esse nos atendimentos do Município.

“Assim pretende-se instrumentalizar os profissionais que trabalham com crianças, adolescentes e jovens em todos os espaços, para que eles saibam detectar casos de violência e como agir nestas situações. E com isso, diminuir números de ocorrências”.

Laís Chaffe, Anete Regina da Cunha e Manoel Luiz Prates

O Seminário tem continuidade nos dias 20 e 27 de maio, no Centro de Eventos da Fenac, quando os funcionários da rede de proteção do Município receberão capacitação e participarão de painéis de discussão com profissionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).